Theodore Kinni



Ayn Rand pode torná-lo um líder melhor


As 7 virtudes propostas pela controversa autora de A revolta de Atlas revelam características que todos os líderes deveriam cultivar.  Não há qualquer dúvida quanto a isso.

Ayn Rand é uma das autoras mais polarizadoras da cultura americana apesar de já terem se passado mais de 35 anos de sua morte. Os leitores amam ou odeiam a autora de A revolta de Atlas e A nascente. O que se perde nesse exaltado debate é o fato de que várias ideias de Rand poderiam nos tornar líderes melhores, aprimorar nossa capacidade de inovação e intensificar nosso foco na construção de um negócio de sucesso.

Quando coautorei com minha esposa um livro sobre como aplicar a filosofia objetivista aos negócios nos vimos num fogo cruzado. Aqueles que execravam Rand não gostaram do livro pois estavam convencidos de que ela era um monstro sem sentimentos. Por outro lado, seus admiradores também se opunham ao livro pois este não pregava a infalibilidade de sua filosofia. Enquanto a discussão prosseguia, ambos os lados ignoravam a principal tese do livro, a saber, que o Objetivismo pode ser uma filosofia extremamente útil a negócios.

As sete virtudes objetivistas ilustram essa questão. Essas virtudes determinam comportamentos que deveriam ser cultivados se quisermos atingir sucesso na vida. Ao aplicar essas virtudes aos negócios, elas lhe servirão como guia para potencializar o máximo de valor ao seu trabalho. Aqui estão elas:

1) Racionalidade

Uma das virtudes primordiais de Rand seria o ilusoriamente simples ato de pensar. Quanto mais você pensa, maior é a sua chance de atingir suas realizações. O que acontece quando você se recusa a pensar? Se a ideia de se recusar a pensar lhe pareça boba, pergunte a si mesmo se os líderes da Wells Fargo estavam sendo racionais quando submeteram seus milhares de funcionários a metas impossíveis de venda resultando na criação de mais de três milhões de contas falsas somente para atingir tais objetivos.

2) Independência

A segunda virtude de Rand assegura a libertação da influência e controle indevidos de terceiros. Ser independente significa que você é autossuficiente e não está disposto a aceitar o status quo ou a opinião dos demais enquanto não tiver concluído que tais opiniões são racionais. Rand admitiu que imitadores podiam ser bem-sucedidos durante um período curto de tempo, mas que apenas pensadores verdadeiramente independentes como Steve Jobs e Walt Disney poderiam alcançar o sucesso no longo prazo.

3) Integridade

A virtude de integridade de Rand requer que você proceda segundo suas conclusões racionais. Isso não é sempre fácil, especialmente agora que o tribunal da opinião pública está mais evidente e tem um alcance muito maior que antes. Até o brilhante investidor Warren Buffett foi condenado por manter sua integridade, recusando-se a seguir a maioria durante suas decisões de investimento. No entanto, se você tivesse investido US$1,000 com Buffett em 1964 essa decisão valeria mais ou menos US$10 milhões em janeiro de 2016.

4) Honestidade

Rand chegou a dizer que a honestidade na sua “forma mais cruel” é a única maneira de evitar os perigos provenientes da autoilusão. O desastre com o Challenger em 1986 ilustrou o quanto isso pode ser letal: a nave especial explodiu e sete pessoas de sua tripulação morreram devido ao fato que líderes tanto da NASA como da Morton Thiokol se recusaram a reconhecer um defeito fatal em seus anéis Oring* (*também conhecido como junta tórica). Curiosamente, Rand citou uma exceção à virtude da honestidade - ela disse que você não tem obrigação de ser honesto com pessoas desonestas.

5) Justiça

A virtude da justiça exige que você julgue os outros por suas ações e esteja preparado para ser julgado. A justiça exige que você determine os fatos, julgue-os com base em pensamentos racionais e independentes e, então, proceda segundo esse julgamento. O que seria o oposto de justiça? É possível ver um exemplo disso nas manchetes de hoje: capitalismo de compadrio (favoritismo), nepotismo e outras formas de recompensa imerecida tais como os enormes salários de CEOs de empresas deficitárias.

6) Produtividade

Rand disse que o trabalho produtivo é um dos principais objetivo da vida. Ele transforma a racionalidade (seu pensamento) em bens e serviços tangíveis. A produtividade cria valor material, razão pela qual Rand argumentou em A revolta de Atlas que o dinheiro era a raiz de todo o bem”, e não do mal. Edwin Land, inventor e fundador da Polaroid é um excelente exemplo da virtude da produtividade. Quando ele morreu em 1991, possuía 535 patentes em seu nome.

7) Orgulho

Rand disse que a virtude do orgulho era necessária no processo de nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos. Esse processo resulta em autoestima, algo necessário durante tanto os bons quanto os maus momentos. Mas o orgulho deve ser conquistado – e é alcançado pela prática e cumprimento de todas outras virtudes objetivistas: racionalidade, independência, integridade, honestidade, justiça, produtividade e orgulho.

Se você colocar essas sete virtudes em ação na sua vida professional, você alcançará o sucesso independentemente de simpatizar ou não com Ayn Rand.

__________________________________________

Publicado originalmente em Medium.

Traduzido por Carmen U.

Revisado por Matheus Pacini.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

__________________________________________