Kirk Barbera



Como Rand reagiria às novas tecnologias?


Durante toda a sua trajetória, Rand sempre adotou as últimas tecnologias para contar suas histórias, e a era nunca foi um problema.

Aristóteles teria twittado? Isaac Newton teria se distraído tanto no Facebook a ponto de não ter tempo para escrever os Princípios matemáticos da filosofia natural

Ayn Rand teria usado o Snapchat? 

Ao ler sobre figuras históricas, é fácil esquecer que elas foram seres vivos iguais a nós. Podemos ler e assistir todo o vasto material sobre a vida de Rand e, ainda assim, esquecer que ela deve ter passado várias noites em claro, refletindo. Podemos ler as suas obras e ouvir falar de sua fuga da Rússia Soviética em 1926. Podemos considerá-la uma pessoa impassível e fria, mas, sem dúvida, ao deixar sua terra natal, família e amigos, ela chorou.

A vida dessas grandes figuras do passado pode servir como guia para nossas próprias escolhas. (Quando aprendemos sobre idealistas convictos como Ayn ??Rand e Winston Churchill, é fato que nos tornamos mais idealistas).

O Snapchat de Atlas

Ayn Rand foi revolucionária em diversos aspectos: não apenas por desafiar 2000 anos de moralidade enraizada, mas também por sua forma de viver. Ela pode não ter tido acesso ao Snapchat, mas ela teve fotos em circulação.

Pela perspectiva atual, analisamos a vida dela e muitas de suas escolhas como pitorescas. Assista aos filmes Vontade Indômita e Um amor em cada vida, ambos escritos por Rand, e provavelmente terá essa mesma impressão “Oh, que fofo! Ela escreve romances onde se beijam na bochecha.” Em geral, assistir a filmes antigos pode gerar essa impressão na maioria das pessoas.

Sem dúvida, daqui a cinquenta anos, as pessoas olharão para nossas atividades atuais em plataformas como Snapchat, Instagram, Facebook e YouTube, considerando-as peculiares e fofas. "Oh, veja como eram fofos sem câmeras nos globos oculares". Ou seja lá o que está por vir.

Em nossos dias, especialmente entre intelectuais e artistas mais tradicionais ou “puros”, ainda existe relutância em aceitar essa cultura digital em que vivemos (para as gerações futuras, estamos em janeiro de 2017).

Para ajudá-lo a ver quão revolucionária foi Ayn Rand, segue uma linha do tempo de sua vida e da tecnologia inovadora de sua época: o cinema. Esta foi a forma de arte que mais a inspirou a deixar São Petersburgo.

Ayn Rand e o cinema

  • 1892 - Edison inventa a câmera cinematográfica e um dispositivo de visualização chamado Cinetoscópio. O universo dos filmes acabara de nascer.
  • 1905 - Alisa Zinov’yevna Rosenbaum nasce em São Petersburgo. Mais tarde, seria conhecida no mundo todo como Ayn Rand.
  • 1913 - Aos oito anos, a pequena Rosenbaum assiste ao seu primeiro “flick”, uma espécie de curta de dois rolos. Nesse mesmo ano, o primeiro longa-metragem se torna um hit nos EUA.
  • 1926 - A Rand de 20 anos recebe um panfleto intitulado “Hollywood, a cidade dos filmes da América” e, nesse mesmo ano, se muda para os Estados Unidos. Logo após chegar, ela participa como figurante em O rei dos reis.
  • 1927-1932 - Em 1927 ela se torna uma roteirista de curtas-metragens. Em 1932, ela vende o seu roteiro chamado Red Pawn.
  • 1949 - Vontade Indômita/A nascente é lançado.

Quando Rand tinha oito anos de idade, ainda moradora de São Petersburgo, ela viu um flicker - menos de 20 anos após a criação da câmera cinematográfica; quando se mudou para os Estados Unidos, seu primeiro emprego foi de figurante em O rei dos reis. Ela tinha 20 anos e filmes de longa-metragem tinham sido inventados há apenas 13. Mesmo na época em que ela escreveu e vendeu o roteiro de Vontade Indômita em 1948, filmes com som tinham apenas 20 anos de existência, e a indústria cinematográfica não passava dos 40.

Durante toda a trajetória, mesmo com seu desejo de transformar A revolta de Atlas em filme nos anos 1970, ela adotava qualquer nova tecnologia existente como meio para contar a sua história. A propósito, a adoção de tecnologias nada tem a ver com a sua idade. Ela planejou uma adaptação cinematográfica de A revolta de Atlas até sua morte.

E se Ayn Rand tivesse nascido em 1990, ao invés de 1905?

  • 1990-1995 - Ayn Rand nasce em São Petersburgo. Em 1995, o Windows 95 torna a internet mais acessível para as massas.
  • 1998 - Aos oito anos, Ayn Rand assiste ao seu primeiro vídeo em um computador.
  • 2009 - Ela lê em um blog “YouTube: A nova Hollywood da internet”. Nesse mesmo ano, ela se muda para os EUA e cria seu primeiro canal no YouTube.
  • 2012 - Ela aprende a utilizar Snapchat e Instagram, poupando dinheiro para comprar um celular novo e começa a fazer stories.
  • 2017 - Vende seu primeiro roteiro para a Netflix.
  • 2025 - Sua primeira grande obra Vontade Indômita/A nascente é adaptada para todas as grandes plataformas de mídia no mundo.

Em 1998, ao invés de assistir seu primeiro “flicker” (curta de quinze minutos), ela teria assistido a um pequeno vídeo na internet. Em 2010, ela leria um blog sobre youtubers nos Estados Unidos, mudando-se para lá naquele mesmo ano. Em 2012, ela aprenderia a usar o Snapchat e o Instagram, passando a postar stories nessas plataformas. Em 2017, teria um programa pouco assistido online ou venderia suas histórias para um produtor mais popular – ou, talvez, para a Netflix ou a Amazon Prime.

Ela teria 27 anos.

Aceitando o inevitável

Eu admiro os intelectuais que se adaptam (mesmo que hesitem um pouco) às novas capacidades de produção das mídias sociais. No entanto, a maioria é tão sentimental quanto ao passado quanto cega quanto ao potencial do presente. Mesmo aqueles que admiram uma figura como Rand são frequentemente míopes para a realidade do quão absolutamente revolucionária e ousada ela realmente era.

Vivemos numa época que Rand e outros revolucionários teriam invejado. "Você quer dizer que eu posso simplesmente produzir meu próprio material, ao invés de ser rejeitado dezenas de vezes e ter que comer em restaurantes comunitários?" E, mesmo assim, hoje ainda reclamamos e ignoramos a verdade sobre esta incrível tecnologia. Os pais nas décadas de 1920 e 1930 também se queixavam daqueles incômodos chamados filmes.

Eu tenho alguns conselhos para qualquer um que queira (ou esteja curioso sobre como) ser um revolucionário randiano.

Primeiro: abra a sua loja de aplicativos.

Segundo: baixe o Snapchat, o Instagram, o music.ly, o Anchor e qualquer outra plataforma de mídia social que você ainda não tenha baixado.

Terceiro: Observe. Leia. Ouça.

Exatamente, apenas consuma como uma criança. Explore as novidades diariamente por duas ou três horas (como se fosse assistir a um filme por dia). Siga os famosos nas redes sociais.

Já nos esquecemos do quão jovem é a web. O Netscape e o Windows 95 foram lançados sem 1995, ou seja, apenas 22 anos atrás. Realmente, a web está ainda em sua infância, talvez, em sua adolescência. Ela amadurecerá nos próximos cinco a dez. E depois disso?

Realidade virtual, baby.

__________________________________________

Publicado originalmente em FEE.org.

Traduzido por Gabriel Poersch.

Revisado por Matheus Pacini.

Curta a nossa página no Facebook.

Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

__________________________________________