Yaron Brook discute quando seria “tarde demais”, isto é, o ponto em que seria praticamente impossível nos considerarmos livres.