Tara Smith responde à pergunta: é possível pensar numa sociedade “objetiva”? Se sim, quais seriam as suas características?