Luis Figueroa reflete sobre a menção à Guatemala em “A revolta de Atlas”.