No Brasil, temos vistos episódios lamentáveis de violência (sobre a forma de agressão física) em eventos pacíficos (exibição de filmes, palestras, etc) que tratam de ideias contrárias ao status quo universitário dominante.

De uma vez por todas, é importante ressaltar que “discurso” não é uma forma de agressão.

Eu posso discordar da ideia de meu amigo, mas a liberdade de expressão está acima de minhas preferências, opiniões, dogmas, crenças, religião, etc.

Yaron Brook explica em dois minutos.