Cena de “A Revolta de Atlas” em que Hank Rearden enfrenta o julgamento e desmascara a ideologia perversa e dissimulada dos governos populistas que procuram justificar a pilhagem da propriedade dos indivíduos e a violência de uma autoridade arbitrária escondendo-a atrás do manto do “bem-comum” e da “igualdade”.

Impagável!