Objetivismo Brasil - A Filosofia de Ayn Rand em Português.

Video tag: yaron brook

A Maturidade Intelectual Acompanha a Maturidade Física? | Palestra

Em uma palestra intitulada “Tribalism and Family Relationships”, realizada pelo Ayn Rand Institute para debater como um individualista pensa sobre família e relações familiares, Onkar Ghate, Yaron Brook e Tara Smith foram questionados “A Maturidade Intelectual Acompanha a Maturidade Física?”

Confira a resposta no vídeo de hoje!
_
Leia nossos artigos no site – https://bit.ly/3osXUrM​
_
Nos acompanhe nas redes:
Instagram – https://bit.ly/3cljcVC​
Facebook – https://bit.ly/2MCEjIb​
Twitter – https://bit.ly/3t4mSkE​
Linkedin – https://bit.ly/3arYmld

Ler »

Justiça vs Desigualdade | Distribuição | Johan Norberg

Nós odiamos a desigualdade? Não! Mas também não amamos. Odiamos a injustiça!

Compreendemos que é melhor uma distribuição justa do que uma igualdade injusta e ruim.

Confira a explicação de Johan Norberg no vídeo de hoje.
_
Leia nossos artigos no site – https://bit.ly/3osXUrM
_
Nos acompanhe nas redes:
Instagram – https://bit.ly/3cljcVC
Facebook – https://bit.ly/2MCEjIb
Twitter – https://bit.ly/3t4mSkE
Linkedin – https://bit.ly/3arYmld

Ler »

Como ter uma Sociedade Livre? | A Ética na Política 15 | Ayn Rand Conference Brasil | 5° Painel

Marcel Van Hattem e Geanluca Lorenzon respondem sobre quais passos devemos seguir para alcançar o sonho de ter uma sociedade livre no 5° painel “A Ética na Política” da Ayn Rand Conference Brasil em Porto Alegre (RS).
_
Assista a sequência :
parte 6 – https://youtu.be/4sTxTdp5MAM
parte 7 – https://youtu.be/iKh0ntOIUxw
parte 8 – https://youtu.be/zacIlbHTR9Q
parte 9 – https://youtu.be/oTRT3rmXyh4
parte 10 – https://youtu.be/6qdCF9A6tZM
parte 11 – https://youtu.be/_QTAs6GxNvY
parte 12 – https://youtu.be/kM7FA0kR8Nk
parte 13 – https://youtu.be/e_wlZ4zS3-w
parte 14 – https://youtu.be/FqvcSeRRikc
_
Leia nossos artigos no site – https://bit.ly/3osXUrM​
_
Nos acompanhe nas redes:
Instagram – https://bit.ly/3cljcVC​
Facebook – https://bit.ly/2MCEjIb​
Twitter – https://bit.ly/3t4mSkE​
Linkedin – https://bit.ly/3arYmld

Ler »

Yaron Brook – Brasil resolveria problema da pobreza com “mais capitalismo”’

CRÉDITOS – CANAL UM BRASIL + STUDENTS FOR LIBERTY

O combate à desigualdade por meio de políticas sociais é falho, e, por isso, o Estado deve reduzir o seu papel para que o capitalismo aflore e permita que os mais pobres tenham melhores condições de vida. Essa é a visão do diretor-executivo do Ayn Rand Institute, Yaron Brook.

Em entrevista ao UM BRASIL, iniciativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Brook comenta que, para o Brasil resolver o problema da pobreza, “quanto mais rápido seguir para o capitalismo, melhor”.

“Desigualdade não importa, o que importa é a pobreza. A diferença de renda não importa. Se todos estiverem vivendo melhor, a diferença é irrelevante, não tem consequências nem na economia, nem na sociedade. É preciso se concentrar no problema da pobreza, e, para resolvê-lo, é preciso facilitar o processo de começar e nutrir negócios”, comenta o PhD em Finanças. “Ao se livrar da intromissão do governo, criam-se várias vagas de emprego. É a melhor forma de resolver o problema da pobreza: empregar as pessoas”, complementa.

Ainda especificamente sobre o Brasil, Brook tem uma recomendação para a luta contra a pobreza: “A primeira coisa a se fazer é criar oportunidades econômicas. Uma das coisas que eu faria – que é difícil de se fazer no Brasil, mas necessária – é dar aos pobres direitos patrimoniais. Existem favelas por todo o País.

É preciso dar as pessoas a posse da terra. Não se perde nada ao dar a elas essa terra, e isso faz delas donos de algo, o que gera autoestima e capital”, explica.

Defensor de privatizações e do livre-mercado, Brook argumenta que tanto conservadores quanto esquerdistas querem controlar a sociedade de alguma forma – o primeiro grupo, por meio dos valores, e o segundo, ao planificar a economia. Segundo ele, o Estado, ao manter relações com o mercado, promove a corrupção e prejudica a emancipação dos estratos sociais mais vulneráveis.

“Ao analisar os países que tiraram seu povo da pobreza, como Coreia do Sul, Taiwan, Hong Kong e Singapura, vê-se que foi por meio do capitalismo, não da empatia”, afirma, reforçando seu discurso contra políticas sociais.

Reconhecendo que um choque liberal contundente poderia ser impactante e difícil de ser implementado, o diretor do Ayn Rand Institute elenca algumas ações que o governo brasileiro deveria tomar para seguir em direção ao capitalismo. “É preciso organizar prioridades, e eu priorizaria a privatização e os cortes de regulamentos e de subsídios”, pontua.

A entrevista foi realizada em parceria com o Students for Liberty Brasil.

Ler »
>